Pesquisar este blog

Carregando...

domingo, 12 de setembro de 2010

CONHECENDO O CAIAQUE - PARTE I

  Quando ingressei no mundo dos caiaques, me deparei com uma infinidade de expressões, as quais eu não tinha nenhuma intimidade, como: estabilidade primária, hull, rocker entre outras expressões em “caiaquês”, então tive que buscar informações sobre estas embarcações para que eu pudesse compreender melhor as mesmas, neste ínterim reuni vários textos e matérias que vou expor neste texto, que não tem a menor pretensão de ser original, nem tampouco finalizador do assunto, tem somente o intuito de ajudar os mais inexperientes e até mesmo os experientes, pois informação nunca é demais.

  Basicamente, os caiaques são compostos por três partes: casco, convés e cabine (cockpit). Essas partes são construídas separadamente em fibra de vidro e depois “soldadas” por um processo químico.

  Hoje em dia, novos materiais como o kevlar, o carbono e o polietileno estão sendo empregados, dando maior resistência e menor peso aos barcos. Existem modelos com o cockpit fechado internamente em forma de casulo, enquanto outros são totalmente abertos. A falta do casulo poderá aliviar o peso da embarcação, porém permitirá um maior alagamento em caso de capotagem.

  Todo barco, seja um caiaque ou um navio, possui qualidades provenientes da sua construção e outras que são derivadas das formas projetadas. As primeiras são ditas qualidades essenciais e podem ser representadas pela solidez, flutuabilidade e estanqueidade. As qualidades oriundas do projeto são ditas qualidades náuticas e se mostram pela resistência mínima à propulsão, manobrabilidade e estabilidade.

  A escolha do caiaque ideal (se é que isso existe) deverá levar em conta o tipo de atividade e o local onde ela será desenvolvida, por exemplo: a simples recreação em lagos e represas, pequenos trajetos em rios de águas tranqüilas, longas expedições em águas costeiras, descidas de corredeiras (águas brancas), a prática de canoagem em ondas, a necessidade de transportar bagagem, o emprego do caiaque para realizar fotografias, pesca, mergulho e etc.

  Nenhum barco reúne todas as qualidades desejáveis. Você terá que abrir mão de alguma coisa para ter um ganho em outra. Assim, uma grande estabilidade estará se opondo a um ganho em velocidade, uma boa manobrabilidade estará se confrontando com a capacidade do barco manter-se em linha reta e a estabilidade inicial (primária) estará duelando com a estabilidade final (secundária). A melhor forma para escolher um barco é experimentá-lo em várias situações (calmaria, correnteza, turbulência, ondas, vento, etc.), observando as características fundamentais como a velocidade, tracking, manobrabilidade, estabilidade inicial e final.

Tipos de caiaques

Há diversas modalidades de caiaque, cada qual adequado a um propósito específico. A fim de compreender mais sobre os barcos, conheça os seguintes termos:
• popa - traseira do barco

• proa - frente do barco

• casco - fundo do caiaque

• chine - curva entre as laterais e o fundo

• rocker - porção da curva entre a popa e a proa que fica acima da linha da água

• flare - ângulo das laterais com relação ao casco







Caiaques Oceânicos e de Turismo
  Os caiaques oceânicos ou de turismo são longos, estáveis e têm muito espaço interno para carga. Os cascos são chatos, as chines são rijas e largas, o que lhes dá um flare amplo. Isso torna essa variedade menos manobrável, mas veloz em linha reta. Os caiaques desse tipo também deslizam mais a cada remada, de modo que são mais eficazes do que os tipos esportivos mais curtos. Podem vir em versões com um ou dois assentos e muitos dispõem de lemes que ajudam nas manobras. Pode-se sentar do lado de dentro do caiaque ou escolher modelo que permita sentar em cima - mais parecido com uma canoa.




Caiaques de águas brancas

  Os caiaques de água branca são mais curtos e um pouco menos estáveis, mas muito mais manobráveis. Também são mais duráveis e construídos para enfrentar o desgaste nas manobras em corredeiras. Com comprimento típico de 2,5 metros e cascos arredondados, eles têm chines mais suaves e flare mínimo. Isso ajuda nas manobras e na rolagem porque a porção do caiaque que faz contato com a água é menor. Eles também exibem considerável rocker, o que também ajuda limitar o contato com a água. Todos os caiaques para uso em corredeiras são modelos em que o usuário se senta do lado de dentro, e nenhum tem leme, estes caiaques também são utilizados para a prática de caiaque-polo.



Caiaque Surf

Os caiaques de surfe não diferem muito dos caiaques para água branca. Uma grande diferença está no rocker. Os caiaques de surfe só tem rocker do lado da proa - a popa é plana, como a de uma prancha de surfe. Muitos caiaques de surfe também têm quilhas de manobra, assim como as pranchas.



Caiaque Recreacional


Os caiaque recreacionais, como o nome já diz, são os caiaques que se utiliza para passeios e atividades recreacionais de curta durabilidade, este tipo de caiaque foi consagrado pelos sit-on-top rotomoldados de plástico, talvez estes sejam o tipo de caiaques mais vendidos no mundo. Por este motivo dediquei um capitulo inteiro a eles e outro dedicado somente a caiaques de pesca. Então falaremos sobre eles mais adiante.

  Os caiaques podem ser feitos de diferentes tipos de material. Os caiaques de surfe são quase sempre integralmente de fibra de vidro - os modelos para corredeiras são muitas vezes feitos de plástico. Isso acontece porque o plástico tradicional não oferece a rigidez e o baixo peso da fibra de vidro. Os caiaques oceânicos são geralmente (aqui no Brasil), feitos de fibra, mas podem ser produzidos com madeira ou de plástico. Mas no exterior os caiaques oceânicos são na sua maioria feitos em plástico.  Alguns dos caiaques para corredeiras mais modernos são feitos de Kevlar, um material mais leve e mais resistente.

  O material usado tem o maior impacto sobre o preço de um caiaque. O plástico é o mais barato, mas também o mais pesado. A fibra de vidro é 20% mais leve que o plástico, mas custa cerca de 20% a mais. O Kevlar é o mais leve e o mais resistente de todos, mas custa duas vezes mais que a fibra de vidro. O peso é algo que precisa ser considerado porque, infelizmente, você passará mais tempo fora do caiaque do que dentro dele. Isso significa carregar o caiaque, instalá-lo e removê-lo do rack no teto de seu carro.

Também é possível optar por um caiaque tradicional de madeira, que são verdadeiras obras de arte, ou por um modelo inflável. Os caiaques infláveis são leves e mais duráveis do que possa imaginar.

No próximo capítulo, estudaremos sobre estabilidade e tipos de cascos.

3 comentários:

  1. parabens!!!! grande artigo me ajudou a compreender, gostaria de saber se o caiaque turismo da para transportar fora d´´agua com facilidade? vlw
    tadeu

    ResponderExcluir
  2. Gostaria de saber qual o peso do Caique Surf? Pois, gostaria de saber se daria para transportar em cima do carro no bagageiro de pranchas? abração!

    ResponderExcluir
  3. Como devo escolher um caiaque? Eu gostaria de fazer expedições, pescaria e mergulho. Gostaria de um modelo que pudesse ser equipado com vela. Qual o que te melhor custo benefício?

    ResponderExcluir

Leitores